Archive for the ‘Bobagem’ Category

Carnaval

Detesto.

Galera levantando dedinho, enchendo a cara, ouvindo música(?) de qualidade duvidosa e exaltando uma terra que sequer respeita seu povo é algo que, definitivamente, não me agrada.

Pelo menos é feriado.

(o post foi curto porque é carnaval)

Anúncios

The Datsuns

Certa vez fui a um show do Black Drawing Chawks e o Victor (vocalista e guitarrista da banda) me indicou uma banda de rock: The Datsuns.

Formada na Nova Zelândia em 2000, o quarteto da cidade de Cambridge faz um Rock and Roll ligado em 220 mil volts. Uma das minhas bandas preferidas em atividade por sua postura e energia tanto nas gravações quanto no palco.

Como eu sou um cara de bom coração, compartilho com vocês aqui um show completo, de 2008. Destaque para o batera e sua camiseta do Hellacopters, aquela que os leitores do Era o Que Tinha já sabem que é a melhor banda do mundo.

Enjoy!

 
http://www.moshcam.com/embed/?mediaID=3807

Watch The Manning Bar and other great gigs on Moshcam.

Tempo

Simplesmente genial.

Frases Sábias do Universo #31

“Só existem dois motivos para que alguém se preocupe com você: ou ela te ama muito ou você tem alguma coisa que a interessa.” Captain Jack Sparrow

05 Últimos Gritos da Moda em Porto Alegre

Observando as coisas ao meu redor e consultando a fonte de informação mais confiável e fidedígna de todas – o Twitter – constatei que de poucos meses para cá algumas coisas se tornaram moda em Porto Alegre. Se você não faz pelo menos duas dessas coisas, você está por fora.

1 – Falar mal de Porto Alegre

Tudo bem, todos concordamos que Porto Alegre não é nenhuma Estocolmo. A cidade tem suas deficiências, sejam elas culturais, sociais ou de infra-estrutura. Tudo bem também que temos motoristas que não sabem estacionar e o maior número de hypes por metro quadrado do Brasil, agora… pra ruim também não serve. Pense que você poderia estar em outras capitais piores, reclamando mais e com uma trilha sonora muito pior.

Vantagem: Te faz parecer uma pessoa viajada, inteligente, culta e cosmopolita.

Desvantagem: Na verdade te faz parecer uma pessoa que acha a grama do vizinho mais verde.

2 – Dizer que não gosta de falar ao telefone

Essa é bastante utilizada no Twitter. Pessoas ficam dizendo que não gostam de falar ao telefone e, em casos mais extremos, dizem inclusive que “tá tocando, mas não vou atender”. O conselho para essas pessoas é bem simples: NÃO TENHA TELEFONE. Pronto. Resolvido o problema. Dá de presente pra vó.

Vantagem: Te faz parecer muito ocupado, solicitado e workaholic.

Desvantagem: Te faz parecer um blasé arrogante e chato.

3 – “Ser Fotógrafo”

Aspas bem grandes aqui. Hoje em Porto Alegre é assim: sujeito quer virar pop ou frequentar locais sem pagar. Pense um pouco e resolve comprar uma câmera fotográfica e assumir a função de Fotógrafo Profissional. Acha que ser fotógrafo é apertar um botão. Não tem noção de enquadramento, não sabe o que significa termo técnico algum, não tem nem ao menos um pingo de bom gosto, mas tem dinheiro suficiente para comprar a câmera top da Nikon ou da Canon. Resultado: fotos tenebrosas espalhadas pela internet porto-alegrense.

Vantagem: Te proporciona entrar de graça em alguns eventos.

Desvantagem: Com as fotos de merda, o benefício da entradas free dura 2 semanas. Quando muito.

4 – Gostar de Ultimate Fighting

Adoro essa. Até seis meses atrás o Vale-Tudo era uma atrocidade, uma violência gratuita e um esporte horrível. DE UMA HORA PARA OUTRA NESSE MUNICÍPIO se você gosta de UFC você é cool. Para os homens é um atestado de macho e para as meninas uma carteirinha de garota descolada e muderrrrrrrna. Ganha mais pontos se disser que pagaria dois mil reais para assistir o UFC.

Vantagem: Tem?

Desvantagem: A pessoa em questão poderia estar fazendo algo melhor, como olhar pro próprio pé.

5 – Gostar de Foo Fighters

Bom, isso não é moda, é justiça sendo feita ao trabalho genial dos caras. Engrosso a estatística do hypismo ao Foo Fighters.

Vantagem: WASTING LIGHT

Desvantagem: Não existe desvantagem em ouvir Wasting Light.

Bom, com hype ou sem, com modismos ou não, com Rock de verdade e Rock de mentirinha que pensa que está em Londres, eu simplesmente adoro Porto Alegre.

Como se diz por aqui, que cidade afudê!

Uma Reflexão sobre o Veganismo

No mínimo engraçado…

Metallica, St. Anger

Em 2003, depois da saída de Jason Newsted, o Metallica lançou seu álbum mais polêmico: St. Anger. Moderno e de sonoridade bastante distante da que o público do Metallica esperava, o disco causou uma onda de manifestações negativas por parte dos fãs.

Eu incluso.

Ouvi poucas vezes. Duas, talvez três. Revoltado, nunca mais voltei a escutá-lo, pois aquele tanto de ruindade e mau gosto bastava para mim.

Oito anos se passaram e ouvi meu amigo Brisa Daitx tecer elogios ao St. Anger, principalmente a seus riffs de guitarra. Eu, agora mais maduro e experiente, dei uma nova chance ao album.

Conclusões:

1 – Oito anos depois, o disco continua ruim.

2 – O álbum soa muito mal. Não saberia definir exatamente se é a produção ou a gravação, mas acredito em uma combinação desastrosa de ambos. Convido meu amigo Mateus Borges a comentar isso.

3 – Tem alguns (poucos) riffs muito bons, como em “Some Kind of Monster”.

4 – A bateria foi definida perfeitamente pela Gaby Lando como “bateria de havaianas em lata de nescau”.

5 – O disco é ruim.

É provavel que não volte a ouvir St. Anger nunca mais. Não é à toa que a banda não toca nenhuma música desse album entre as mais de 50 que apresentou ao longo da última turnê.