Metallica, St. Anger

Em 2003, depois da saída de Jason Newsted, o Metallica lançou seu álbum mais polêmico: St. Anger. Moderno e de sonoridade bastante distante da que o público do Metallica esperava, o disco causou uma onda de manifestações negativas por parte dos fãs.

Eu incluso.

Ouvi poucas vezes. Duas, talvez três. Revoltado, nunca mais voltei a escutá-lo, pois aquele tanto de ruindade e mau gosto bastava para mim.

Oito anos se passaram e ouvi meu amigo Brisa Daitx tecer elogios ao St. Anger, principalmente a seus riffs de guitarra. Eu, agora mais maduro e experiente, dei uma nova chance ao album.

Conclusões:

1 – Oito anos depois, o disco continua ruim.

2 – O álbum soa muito mal. Não saberia definir exatamente se é a produção ou a gravação, mas acredito em uma combinação desastrosa de ambos. Convido meu amigo Mateus Borges a comentar isso.

3 – Tem alguns (poucos) riffs muito bons, como em “Some Kind of Monster”.

4 – A bateria foi definida perfeitamente pela Gaby Lando como “bateria de havaianas em lata de nescau”.

5 – O disco é ruim.

É provavel que não volte a ouvir St. Anger nunca mais. Não é à toa que a banda não toca nenhuma música desse album entre as mais de 50 que apresentou ao longo da última turnê.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Então… É tudo questão de concepção. Vamos ver… A qualidade do áudio está impecável, como é de se esperar. Som limpo, definido, muito bem gravado e produzido… Dentro da concepção que foi definida. O que eu acho que rolou é um mal direcionamento da produção, alguns entendem isso como “mau gosto”, e tem razões para fazê-lo. Eu tô com a maioria, não gosto.
    Abz

    Responder

  2. Posted by Filipeilipe Limas on 22 de julho de 2011 at 2:28

    Primeiro, uma pequena “correção”: as vezes, mesmo que muito raramente, eles tocam Frantic.

    Agora, quanto ao disco… há um tempo, mais de ano, eu resolvi escutar novamente esse negócio, pra ver se depois de anos conseguia tirar algo de decente do disco. Não consegui. Tem mesmo um ou outro riff interessante, mas no meio de tanto lixo que é esse álbum, nem eles conseguem se salvar. St. Anger é uma verdadeira porcaria. É diferente de um simples disco muito abaixo da qualidade de uma grande banda, tipo o que o próprio Metallica já fez em Reload, por exemplo. É bem fraco, mas ainda é música, relativamente bem feito e tal.

    St. Anger não. St. Anger é lixo, puro e simples. Pode separar o CD e a caixinha e colocar na lata destinada ao plástico, e o encarte na de papel, e mandar para a reciclagem, pra virar algo útil pra sociedade, como um caderno feito de material reciclado.

    Responder

  3. Eu gosto de duas músicas desse cd… Não lembro o nome agora mas foram músicas de trabalho na época.
    Mas de resto, eu concordo com o dito.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: