A Banda Mais Bonita (e polêmica) da Cidade

Bom, se você não conhece a Banda Mais Bonita da Cidade, provavelmente não frequentou nenhuma rede social na última semana. Os caras são da cidade de Rio Negro, a 100km de Curitiba, no Paraná. Gravaram um clip em plano-sequência que foi postado no Youtube na terça-feira, dia 17 e que hoje já ultrapassa UM MILHÃO de visualizações.

A música, “Oração” é de autoria de Leo Fressato, um amigo da banda. A canção é extremamente grudenta, talvez o mais poderoso earworm com o qual já me deparei na vida.

Pois bem. Só se fala nesses caras. E eu não poderia de deixar de emitir meu parecer sobre o ocorrido. Aliás, vários pareceres, visto que tudo que envolve a Banda Mais Bonita da Cidade me fez pensar em diversas coisas.

Primeiramente, o vídeo: Muito bom. Muito bom mesmo! O plano-sequência é criativo, conta com a participação de várias pessoas, transborda alegria e te dá um sentimento bom ao assistir. Pelo menos, assim foi comigo.

A música: Como eu já disse, tem um poder tenebroso de ficar na sua cabeça. Isso é “mérito” de duas coisas: Melodia fácil e repetição. MUITA repetição. São apenas 8 versos, curtos, que são repetidos ininterrúptamente durante SEIS minutos. O cara que começa cantando não é muito afinado, mas depois da sua participação o que se vê é, sim, muito talento. O arranjo envolve diversos instrumentos, e é isso que diferencia cada trecho da repetição “ad infinitum” que “Oração” é. É bacana observar a diferença que cada instrumento faz. Os vocais também estão de parabéns. Excluindo o cara da abertura, tudo é muito afinado. E, ao menos parece, gravado ao vivo.

Diante de tanto sucesso, conquistado do dia para a noite, pude me deparar com duas reações extremas: pessoas puxando o saco da Banda Mais Bonita da Cidade com todas as suas forças e pessoas com uma reação de ódio xiita com relação aos caras.

Gente, desculpe dizer mas É SÓ UMA BANDA. Ponto. Uma banda com um clip bacana. Nada de especial, nem para o bem, nem para o mal.

Outra coisa que me assustou, diante de tanta raiva que essa galera despertou é o sentimento de como o brasileiro tem dificuldade em lidar com sucesso alheio. Principalmente quando esse sucesso é uma bênção repentina, como foi no caso dessa banda. Isso me dá vontade de chacoalhar essas pessoas e dizer “Deixa os caras!”. Tiveram uma idéia bem sacada que deu certo. Mérito da banda! A banda FEZ algo. E colheu frutos disso.

Mais do que merecia? Isso é outra discussão.

Mas estão curtindo o fato de serem a melhor banda de todos os tempos da última semana.

O que virá pela frente, ninguém sabe. Podem cair no esquecimento ou virar o novo Los Hermanos. O mercado musical é muito esquisito e não é possível descartar em nenhuma dessas possibilidades.

E, por fim, a Banda Mais Bonita da Cidade me ensinou um pouco de humildade como produtor. Eu teria destruído os caras. Eu trabalharia essa música de uma forma totalmente diferente. Orientaria a escrever mais, desenvolvê-la liricamente para não ficar em pobres 8 versos curtos. Enxugaria a música, sob o argumento de que “seis minutos repetindo ninguém aguenta”. Criaria trechos instrumentais para “dar uma respirada”. Elaboraria muito mais. Exploraria mais o talento da banda. Particularmente achei chato e iria tentar reverter isso.

E, se tivesse feito isso, eles não seriam A Banda Mais Bonita da Cidade.

Nem a mais polêmica.

Nem a mais hype.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Conheci essa banda em Fevereiro. Isso aconteceu através de um retweet de alguém (não lembro quem) e tinha o link de um vídeo.
    Gostei de primeira, da música e do clipe.
    Encontrei outras músicas no YouTube.
    Me obriguei a perguntar mais sobre a banda pra pessoa que Twittou o link do vídeo originalmente.
    Na época, a banda ainda não tinha twitter ou site ou nada do tipo… Mas, segundo aquela pessoa, em breve tudo estaria no ar e ele mandaria recados pra avisar (parecia ser alguém que conhecia pessoalmente a banda, talvez um amigo).
    Ouvi e indiquei na primeira semana via Twitter e depois NUNCA mais… Até que me vi assombrado com a força avassaladora com a qual as pessoas passaram a falar à respeito.
    Fico feliz pelo sucesso de algo que tem qualidade.
    Só me assusta essa capacidade de “endeusar” algo da noite para o dia… Mas a música é assim mesmo e o que nos resta é rezar pra não ser uma banda de apenas um álbum.
    Nota: as paródias em geral são muito boas e o nome da banda abre um zilhão de possibilidades… Pra não dizer, até novas gírias, que no caso da internet duram muito pouco mas sem dúvida ajudam na divulgação…
    Abraço!!!

    Responder

  2. Posted by Vítor on 26 de maio de 2011 at 4:08

    Concordo.

    Pessoas têm inveja, coisa feia.

    E concordo noutro ponto e “acrescento”: só funciona no audiovisual. Dá pra viajar muito com a música.

    Responder

  3. Posted by Murilo on 26 de maio de 2011 at 0:36

    Cara, concordo com quase tudo que tu disse.
    Aliás, isso é raro! huhauhahua

    Concordo principalmente na parte das reações negativas. O povo é mala e não pode ver ninguém feliz que tem que tentar avacalhar.

    A música é bacana, o clip é feliz e era isso. Não gostou, pode ficar quieto em vez de sair “trollando” (sou mudérnu e também uso giriazinha de internet agora).

    Acho que as pessoas se mordem por não terem tido a mesma ideia. Eu tiro o chapeu pra eles.
    Espero que, se tiver qualidade, a banda vingue, pra não ficar na frustração de um sucesso relâmpago.

    Já diria o Márcio Jameson:
    Quem faz, faz. Quem não faz, fala de quem faz.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: