Trote nas Universidades

Hoje em um jantar com amigos discuti veementemente com dois deles sobre o trote nas universidades.

Eles, munidos do discurso que está enraizado na cultura brasileira, defendiam o trote como algo normal e até divertido. Um mero rito de passagem que serve como meio de socialização.

Eu, mais crítico, defendia que era uma porra de algo ridículo, uma barbárie cometida contra os alunos que ingressam na universidade.

Falando numa boa: pro diabo com esse argumento de “socialização”. Socialização é uma festa, socialização é um churrasco, socialização é uma conversa, socialização é até poker. Jogar tinta no outro (ou ovo, ou creolina, ou peixe, ou cocô, ou o que quer que seja) é falta de respeito.

Outro argumento pra lá de furado, na minha opinião, é “ninguém é obrigado a fazer nada”.

PORRA!

Como assim? Então todas aquelas pessoas que vão pra casa cobertas de todo tipo de substância e que precisam de três dias pra se livrar dos vestígios aceitaram aquilo de bom grado?

Não.

Numa boa, não consigo imaginar o camarada dizendo “Aí, veteranos! Joguem uma tinha aí no meu cabelo com molho de peixe podre que aí podemos nos tornar grandes amigos!!! É uma grande socialização!”.

Não, né?

O mais legal do trote é a justificativa. Ninguém contesta o trote porque “sempre existiu”. Ninguém deixa de aplicar o trote porque “fizeram comigo, então vou fazer também”. Típico.

Enfim, ao invés de ficar aqui malhando esse absurdo, que de civilizado não tem nada, vou apenas deixar um link do wikipedia sobre o assunto.

Vale, muito, a leitura. http://pt.wikipedia.org/wiki/Trote_estudantil

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by zed alves on 9 de novembro de 2010 at 23:49

    Se tu tivesse participado dos trotes da Famecos no tempo em que eu, Tedesco e Ricardinho estávamos lá, tu nao ia pensar assim. Heheheh.

    Responder

  2. Ô, velhão, gostei muito do que tu disse aí. Esse é um daqueles textos que ao invés de abrir essa caixa pra te encher o saco, venho te parabenizar e dizer que tu mandou muito bem! huahuahua

    Não tem como apoiar essa porra de trote. E nem vou argumentar aqui com quem é a favor, porque tu já disse TUDO que tinha pra dizer.

    Ah, na UFRGS tem alguns cursos têm trotes bacanas, de socialização MESMO. Juntam uma grana e fazem algo pra todos, o que acaba servindo pra se integrar de verdade. Legal, né?

    Abraço!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: