Conselho aos Letristas de Qualquer Estilo

Desde que optei por ter uma banda trabalhei em composições próprias. Com muita frequencia fui letrista nessas composições.

Sinto muita vergonha alheia com as letras que ouço hoje na música brasileira (e até mesmo internacional).

Para evitar contrangimentos (do compositor e do ouvinte), tenho um método bastante simples: recitar a letra.

Se você não se sentir um idiota ao declamar sua letra, é mais de meio caminho andado.

Tenho certeza que Renato Russo não se sentiria um idiota recitando “Nas favelas, no Senado / Sujeira pra todo lado / Ninguém respeita a constituição / Mas todos acreditam no futuro da nação”.

Agora, como se sentiria Cumpadre Washington recitando “Pau que nasce torto / Nunca se endireita / Menina que requebra, mãe / Pega na cabeça”? Ou Anderson, do “Molejão”, recitando “Diga onde você vai / Que eu vou varrendo / Diga onde você vai / Que eu vou varrendo / Vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo”????

Sinceramente, tenho certeza que não seria nenhum Bob Dylan.

Pense nisso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: